– O mesmo país que, desde 1966, tem se recusado a aceitar todas a convenções internacionais que tentaram estabelecer princípios morais e de direitos humanos entre os povos, alegando que estas contrariam a sua soberania. Exemplos:

– Pacto sobre direitos econômicos, sociais e culturais de 1966;

– Protocolos de 1977, aditados às Convenções de Genebra, sobre proteção às vítimas de conflitos bélicos;

c- Convenção de 1979, sobre a eliminação de todas as formas de disciminação contra as mulheres;

– Protocolo adicional de 1988 à Convenção americana de direitos humanos em matéria de direitos humanos em matéria de direitos econômicos, sociais e culturais;

– Convenção de 1989, sobre a proteção do menor;

– Convenção de Ottawa, de 1997, sobre a proibição de uso, armazenagem, produção e transferência de minas antipessoais;

– Convenção criadora do Tribunal Penal Internacional de 1998, cuja incumbência é julgar os responsáveis pelos crimes de genocídio, crimes contra a humanidade, os crimes de guerra e o crime de agressão (Cabe observar que apenas 6 países se negarem a assinar a Convenção, além dos Estados Unidos: China, Iraque, Israel, Qatar e Iêmen).

– O mesmo país que atacou militarmente Granada, Líbia, Panamá, Iraque, Somália, Haiti, Afeganistão, Sudão, ex-Iugoslávia, Vietnã …

– O mesmo país que se negou a assinar o acordo de Kyoto em 1998, sobre a limitação de emissão de gases poluentes que provocam o efeito estufa, alegando que o mesmo afetaria a economia americana (os Estados Unidos, sozinhos, emitem 36% dos gases poluentes que estão provocando os buracos na camada de ozônio que envolve o nosso Planeta).

– O mesmo país que se retirou da Conferência Mundial Contra o Racismo na África do Sul em 2001.

– O mesmo que instituiu Tribunais Militares de Exceção, autorizando, inclusive, a decretação de pena de morte para os estrangeiros!


Depoimentos de autoridades norte americanas:

“Nós queremos vender mercadorias, tecnologia e serviços norte-americanos, sem obstáculos e restrições, para um mercado único de 800 milhões de pessoas, com uma renda total de 11 trilhões de dólares anuais, num território que irá do Ártico até o Cabo de Horn.”

(General Colin Powell, Secretário de Estado do Governo Bush)

“Nós temos 4% da população do mundo e controlamos 22% da riqueza do mundo. Se queremos manter essa fatia de riqueza, nós precisamos vender para os outros 96% da população.”

(Bill Clinton, ex-presidente dos Estados Unidos)